Após recorde neste ano, safra de grãos deverá cair em 2018voltar

11/10/2017
Após recorde neste ano, safra de grãos deverá cair em 2018
Plantação de soja em propriedade em Mato Grosso

 

 

A safra de grãos, após ter atingido o recorde de 238,5 milhões de toneladas neste ano, deverá ficar entre 224 milhões e 228 milhões de toneladas no próximo.
Os dados são da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), que, nesta terça-feira (10), fez a primeira estimativa da safra 2017/18.
A safra de verão ainda está sendo semeada, e esses números estimados dificilmente vão se concretizar. Condições de plantio, área a ser usada e clima durante o desenrolar da safra vão determinar o próximo volume de grãos a ser produzido.
As duas safras mais recentes mostram bem as dificuldades iniciais de uma estimativa de produção.
A primeira avaliação da safra 2015/16 feita pela Conab apontava uma safra de até 213 milhões de toneladas de grãos. Os números finais mostraram que foram colhidos apenas 186 milhões no período. A safra foi afetada por severos problemas climáticos.
Já na safra 2016/17, a primeira avaliação da Conab indicava, nas melhores condições, um volume de até 215 milhões de toneladas de grãos. Os números finais apontam para 238,5 milhões de toneladas, uma vez que o clima foi extremamente favorável.
A avaliação atual da Conab é, portanto, apenas um indicativo de números, tomando-se como base um histórico dos acontecimentos nos últimos anos.
Um dos motivos dessa queda de produção é a utilização de áreas menores no plantio de milho e de arroz em 2017/18. Já a área de soja tem pequena evolução. Esses três produtos representam 94% de toda a produção nacional de grãos.
A redução de produção poderá vir também da queda de produtividade, principalmente das três culturas líderes: soja, milho e arroz. As quedas previstas são de 9%, 3% e 4%, respectivamente.
*
Milho
Os produtores vão pisar no freio na área destinada ao milho neste verão. Haverá uma redução de 15%. Já no período do inverno, eles aumentarão em 5% a área a ser semeada com o cereal.
No balanço do ano, a área de milho recua 2,1%, influenciando no volume a ser produzido em 2017/18. A estimativa é da consultoria Céleres, que prevê uma produção total de 95 milhões de toneladas no período, abaixo dos 100 milhões de 2016/17.
A comercialização de milho da nova safra atingiu 21%, com alta de três pontos percentuais em relação ao final de agosto. Há um ano, a comercialização somava 26%, segundo a AgRural (Folha de S.Paulo, 11/10/17)

    Deixe o seu comentário:
Avaliar:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Resultado da Avaliação:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
0