Menu do site
Editorias
Serviços

Cana, Açúcar e Agroenergia

23/01/2008 - 09:44:50 - Versão para impressão

ENDIVIDADO, GRUPO JOÃO LYRA DEVE VENDER UNIDADE EM MG

O grupo belga Alcotra, uma das maiores tradings de álcool do mundo, está negociando a compra da usina Triálcool, que pertence ao usineiro e ex-senador João Lyra. O valor do negócio não foi divulgado. No mercado, contudo, a venda está estimada em US$ 150 milhões, o equivalente a US$ 90 por tonelada de cana.
A Triálcool, localizada em Canápolis, no Triângulo Mineiro, é considerada uma das mais modernas usinas do país. Procurados, a Alcotra e o grupo João Lyra não quiseram comentar a negociação.
O Valor apurou que a trading é uma das credoras do grupo João Lyra. No Brasil, a Alcotra possui participação de 49% na usina Tabu, da Paraíba. Essa usina é produtora de álcool industrial. No mundo, o grupo é acionista de uma usina na África do Sul, nas Ilhas Maurício e outra na Bélgica.
A Alcotra é presidida pelo belga Philippe Meeus, o acionista majoritário do grupo. Entre os parceiros estratégicos da companhia está a EDF Energies Nouvelles, que detém participação de 25% na Alcofinance, subsidiária da Alcotra, com foco em biocombustíveis. Outro importante parceiro é a Trafigura, que em dezembro passado adquiriu 33% das ações da trading.
A Alcotra negocia globalmente cerca de 1,2 bilhão de litros de álcool, dos quais 800 milhões são do tipo industrial e 400 milhões de litros do tipo combustível.
Um dos maiores grupos sucroalcooleiros do país, a família João Lyra controla três usinas em Alagoas, que juntas processam 3,5 milhões de toneladas de cana. Em Minas Gerais, são duas usinas em operação - a Triálcool, em Canápolis, e a Vale do Paranaíba, em Capinópolis. As duas usinas ficam a uma distância de cerca de 50 quilômetros uma da outra. No ano passado, arrendadores de terra para plantio de cana das regiões de Ituiutaba e Capinópolis, produtores de cana e cortadores estavam com dificuldades para receber pelos serviços prestados ao grupo.
Segundo Paulo Henrique Fontoura, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Capinópolis, a situação está na mesma. "Somente os cortadores de cana conseguiram receber após intervenção da Justiça", afirmou ele. Na próxima semana, o sindicato vai tentar se reunir com representantes do grupo para tentar nova negociação.
No ano passado, Lyra esteve envolvido na crise política centrada no ex-presidente do Senado, Renan Calheiros. João Lyra acusou Calheiros de usar "laranjas" para comprar estações de rádio e um jornal em Alagoas. Fontes de mercado afirmaram ao Valor que as dificuldades do grupo começaram em 2006, quando o ex-senador estava concentrando esforços para sua candidatura a governo do Estado de Alagoas. No mercado, há notícias de que o ex-senador estaria negociando também uma de suas usinas de Alagoas para um empresário da região (Valor, 23/1/08)

Notícias da mesma editoria

Parceiros

Clipping Brasilagro

Receba diariamente no seu e-mail o nosso clipping de notícias

Guia de Fornecedores

Os principais fornecedores do setor estão aqui. Confira!

Parceiro Técnico